O que é tradução juramentada?

Para que um documento de outro país seja validado e considerado em questões oficiais, judiciais, de empresas e órgãos públicos, é preciso que seja apresentado junto com sua tradução juramentada. Essa modalidade de tradução é responsável por conferir a legitimidade de documentos de origem estrangeira em cartório, como nos casos de solicitação de dupla cidadania, por exemplo. Não é qualquer pessoa que pode realizar a tradução, apenas um tradutor juramentado. Procure um cartório da sua confiança e saiba mais!

Fonte: Facebook Tabelionato Gaúcho.

Inventário.

O inventário é o procedimento utilizado para apuração dos bens, direitos e dívidas do falecido. Com a partilha é instrumentalizada a transferência da propriedade dos bens aos herdeiros.

A Lei 11.441/07 facilitou a vida do cidadão e desburocratizou o procedimento de inventário ao permitir a realização desse ato em cartório, por meio de escritura pública, de forma rápida, simples e segura.

Saiba mais sobre Inventário Extrajudicial:
https://goo.gl/WFEXZP

Fonte: Colégio Notarial do Brasil – Seção São Paulo.

Doação de bens para menores.

O planejamento sucessório se caracteriza como uma alternativa fundamental para quem deseja destinar os bens ainda em vida de forma segura, tranquila e econômica. Para beneficiar alguém com determinado bem, móvel ou imóvel, é necessário oficializar a doação do patrimônio por meio de Escritura Pública, em Cartório de Notas. De acordo com o Art. 543, do Código Civil “Se o donatário for absolutamente incapaz, dispensa-se a aceitação, desde que se trate de doação pura”.

Fonte: Tabelionato Gaúcho.

Testamento Público x Testamento Cerrado

O testamento público é elaborado pelo próprio tabelião, de acordo com a vontade do testador. É lido em voz alta perante duas testemunhas e o testador, para que não restem dúvidas quanto a sua autenticidade e legitimidade. Já o testamento cerrado é aquele escrito e assinado pelo próprio testador e aprovado pelo tabelião, na presença de 2 (duas) testemunhas, que lavra o auto de aprovação, lacra e costura o instrumento. Confira as principais características de cada modalidade:

Fonte: Tabelionato Gaúcho.

Se a relação chegou ao fim, o ato pode ser formalizado em Cartório de Notas, por meio da lavratura de uma escritura pública de dissolução da união estável. No entanto, é preciso que o casal esteja em consenso a respeito do término da relação e não tenha filhos menores.

Fonte: Tabelionato Gaúcho.

Você Sabia?

Quando solicitada a separação, extinguem-se os deveres de coabitação e fidelidade às partes, porém, as partes continuam impedidas de casar-se novamente. No divórcio, ocorre a dissolução total e completa do casamento, ou seja, põe fim à sociedade conjugal permitido aos cônjuges contrair novo matrimonio. Ambos os atos podem ser feitos por meio de escritura pública, em Cartório de Notas, quando há consenso e quando não há menores envolvidos.

Fonte: Tabelionato Gaúcho.

Inclusão de sobrenome de companheiro na união estável.

Casais que vivem em união estável podem adotar o sobrenome do companheiro ou companheira. Entretanto, para que seja feito de forma extrajudicial, é preciso que a vontade seja declarada no ato do reconhecimento de união estável, em Cartório de Notas.
Com a escritura de união estável em mãos, é necessário levar o documento a um Cartório de Registro Civil para solicitar a alteração na certidão de nascimento.

Fonte: Tabelionato Gaúcho.